terça-feira, 20 de novembro de 2018

Victoria pode ser caso real de cura de esquizofrenia com dieta a base de frutas


Segue para apreciação de meus leitores uma bela entrevista que fiz com Victoria Everett entre o fim do ano de 2017 e início de 2018. Victoria é  uma estadunidense, mãe, coach de alimentação crudívora e frugivora. Há 12 anos ela se alimenta com uma dieta vegetariana crua a base de frutas e outros vegetais crus.  Victoria, que hoje tem 46 anos, afirma ter se curado de esquizofrenia com sua dieta alimentar. É um caso bastante singular este na história das doenças mentais. Curar-se de qualquer problema de saúde já é raro atualmente, e curar se de um tipo de sofrimento como é o da esquizofrenia - que para a maior parte dos psicólogos, psiquiatras e médicos convencionais - seria incurável, é algo ainda mais desafiador. Ela afirma que com esta mudança alimentar os sintomas que ela tinha desapareceram e hoje ela é saudável. Aliás ela aparenta estar bem saudável mesmo ao se acompanhar seu dia a dia pelas redes sociais.

Vocês vão poder confirmar que Victoria foi diagnosticada como tendo transtorno bi-polar e depressão, porém, ao ser internada e perante os profissionais ela negou que também ouvia vozes. Ao que tudo indica, até pelo histórico dela, trata-se de um caso de psicose, mais próximo da esquizofrenia. Um caso, que tudo indica, chegou a cura e ao estado de saúde. Um reversão da doença em saúde, devido a dieta baseada em frutas e outras plantas cruas, que são os alimentos físicos mais adaptados a fisiologia humana.  


Foto antes, quando tinha a doença e atualmente

Confiram a entrevista.


Você tem ou teve esquizofrenia ?


Eu fui oficialmente diagnosticada como bipolar e severamente depressiva. Eu nunca disse a um doutor sobre as vozes em minha cabeça. Eu estava aterrorizada de ficar presa em um hospital psiquiátrico.



O que diziam as vozes que você ouvia ?



Elas diziam muitas coisas. Você é feia. Ninguém gosta de você. Pessoas estão tentando te machucar. Corte-se. Bata na sua cabeça. Bata em si mesmo. Pule de uma ponte. Pule na frente de um trem. Você é inútil. Você é um fracasso. É melhor que você esteja morta. Coisas assim.



E agora. Estas vozes pararam ?



Sim. Elas pararam. Elas tem somente voltado quando tentei comer refeições cruas gordurosas, carnes, laticínios ou comida processada. Assim que consegui comer comidas veganas integrais de baixa gordura, então a névoa em minha mente clareou e os pensamentos se tornaram pacíficos. 



Isto é ótimo! Estou feliz por você. E o trigo? Você disse em uma entrevista anterior que o trigo também fazia você ficar doente.

Sim. Trigo é uma comida processada. Toda comida processada, mesmo a livre de glúten.

Então você curou a si mesmo com uma dieta vegana crua, de baixa gorduras e sem processados.

Sim. Exatamente. Eu gostaria de adicionar que, uma vez que minha mente ficou clara, eu comecei a praticar diariamente meditação e yoga. 

Você teve ajuda de um terapeuta ou algum profissional de saúde para se curar ?

No princípio eu não tive ajuda. Tudo que eu tive foi fé no primeiro par de anos. Ao longo dos 12 anos comendo principalmente frutas frescas e vegetais crus, tive ajuda de outros coachs em alimentação crua e li e ouvi centenas de livros de auto-ajuda.

Você acreditava que era possível se curar ?

Definitivamente! Eu acredito que a única maneira que nós curamos é através de nossa própria vontade.

Eu vi que você usou maconha. Como foi ?

Eu não dei para mim o que eu estava procurando e me dei um monte de coisa que eu não estava buscando. Eu estava buscando por um tipo de iluminação no qual a maconha me deu a ilusão de me oferecer. Às vezes, mudava a maneira como eu olhava para as coisas, mas nunca poderia utilizar o que aprendi depois de me deprimir. Eu tinha sempre que viajar de novo para ver. 
Eu encontrei que eu sou muito mais capaz de ver as coisas claramente e com uma diferente perspectiva através da meditação. O que maconha me deu foi um vício, ansiedade, paranoia, comportamento anti social e pulmões sujos. 

Você toma ou tomou qualquer tipo de suplementos ?

Eu não tomo suplementos. Eu tomei uma dose de B12 há sete anos atrás quando um amigo estava distribuindo no Festival Woodstock da Fruta. De outra forma eu não tenho tomado qualquer tipo de suplemento desde que iniciei este estilo de vida de comer a maior parte de frutas e vegetais há doze anos atrás.

Você tomou por que achou que precisava ?

Não. Eu não pensei que eu precisava. Eu só queria ver se eu sentia qualquer diferença depois de tomar, e não senti. 

Você estava provavelmente correta.

Sim. 

Pesquisas têm apontado a relação das psicoses (esquizofrenia, transtorno bipolar e outras) com os intestinos. Como é sua saúde intestinal? Você tinha uma boa saúde intestinal? 

Eu penso que doença mental tem muito a ver com a digestão. Quando nossa digestão está fluindo suavemente, nossa mente também está. 

O que é chamado segundo cérebro pode ser mesmo o primeiro em muitos casos. Quando o dano aos intestinos é relevante a ponto de afetar a mente. 
Eu disse intestinos porque eles são os mais sensíveis, têm muitos neurônios, produz hormônios, vitaminas, distribui nutrientes para a corrente sanguínea, e nos intestinos vivem trilhões de bactérias benéficas para o corpo. Mas realmente a sensibilidade está também no estômago e todo trato digestivo. Eu sinto que a sensibilidade é mais afetada com as carnes, grãos, cereais, derivados de leite de vaca, e cozidos. Além de ovos e outros derivados animais.

Sim. Eu não estou certa em meu caso se são somente meus intestinos porque se meu estômago está transtornado assim também está minha mente. E também quando meus intestinos estão angustiados também está minha mente. Eu posso localizar com detalhes apenas nos intestinos. 

Você sabe mais alguém que tenha se curado com uma dieta crua vegana de esquizofrenia, transtorno bipolar ou outro sofrimento mental?

Eu sei de outras pessoas com doenças mentais que se curaram ou fortemente melhoraram com uma dieta vegana crua baixa em gordura.

Esquizofrenia e Bipolar ?

Ambos. 

Uau! Isso parece incrível.

Faz sentido pra mim.

Pra mim também! Eu acredito no poder de regeneração do próprio corpo e no poder de nutrição e desintoxicação das frutas e outros vegetais crus. Eu experienciei isso por sete anos!

Sim!

Você é vegana?

Sim. Eu diria baseada em plantas ("plant based").

Algum problema com a palavra vegan?

Não num todo. Eu tive experiências onde as pessoas têm visões extremas sobre se as pessoas são na verdade veganas ou não. Eu não tenho tais visões extremas. 

Victoria, para terminar você gostaria de deixar uma mensagem para aqueles que te acompanharam nesta entrevista até aqui. 

Sim. Eu sou muito agradecida a todos que me apoiaram e me aplaudiram durante minha jornada na saúde física, mental e espiritual nos passados 12 anos. Eu sou realmente abençoada por muitas maravilhosas pessoas em minha vida. 

Quantas bençãos. Gratidão. E sucesso em sua jornada. 

Obrigado.












sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Wiley Brooks, um respiratoriano que levantava barras com mais de 400 quilos

Eu não sou contra a comida… Não sou contra os hambúrgueres McDonald … Nem sou contra o sistema… Não sou contra nada e não estou em busca de seguidores. Frases atribuidas a Wiley Brooks.

Breatharian Institute of America (2013)

Wiley Brooks é o fundador do Breatharian Institute of America - Instituto Respiratoriano da América. Ele apareceu pela primeira vez ao grande público em 1980, no programa de televisão That´s Incredible! Neste programa, bem como em outros programas de comunicação onde ele se apresentou, Brooks, afirmava viver sem ingerir alimentos físicos. Ele afirmou ser um respiratoriano, termo, ao que parece, divulgado pela primeira vez na mídia e na grande massa por ele mesmo. Pelo menos por algum tempo este foi seu estilo de vida, viver sem a dependência do alimento físico.

Em 1981, no programa de televisão Tomorrow Show

Brooks parou recentemente de ensinar e passou a "dedicar 100% do seu tempo em resolver o problema de por quê ele precisava comer algum tipo de alimento para manter seu corpo físico vivo e permitir que seu corpo leve se manifestasse completamente". Ele afirma ter encontrado "quatro principais dissuasores" que o impediram de viver sem alimentos: "poluição das pessoas", "poluição alimentar", "poluição do ar" e "poluição eletromecânica".

Brooks fez algumas declarações polêmicas. Por exemplo. Segundo a Wikipedia, ele chegou a afirmar que quebrava seus longos períodos sem comida com x-burguer e refrigerante de cola. Em outro momento, ele disse que Coca Cola Diet e hambúrgueres do McDonalds têm propriedades 5D, de quinta dimensão. 

Nos períodos em que viveu declaradamente como respiratoriano, Brooks se exibia para o público exercitando seus músculos ao levantar pesos. Ele chegou a aparecer publicamente levantando uma barra de ferro com pesos que chegavam até 965 libras ou 437 quilos. 




Há polêmicas envolvendo este afro-descendente norte-americano que desafiou a tradição, que alçou viver como um respiratoriano. E se realmente é verdade algumas das declarações estrondosas atribuídas a ele, se precisam de análises mais profundas para serem compreendidas, isso somente cada um pode dizer. Ele mesmo ou alguém que conheça sua experiência melhor. Reconheço que há certa profundidade na fala dele, ao dizer que, viver de Luz é ser aquilo que o Cristo é. E disse ainda que a comida é o que prende a 3D (terceira dimensão). Nisso também concordo com ele. A comida pode até nos fazer perder a fé de que existe o espiritual e o energético. E para mim Brooks foi muito profundo em suas experiências e talvez por isso se torne difícil compreendê-lo. Por exemplo, vocês verão adiante, como ele cobrava valores exorbitantes por quem quisesse participar de um curso ou evento com ele.

O site Breatharian Institute of America (www.breatharian.com), criado por ele, saiu do ar. Também uma pagina pessoal dele no Facebook está desatualizada há alguns anos.

Encontra-se disponível na internet um livro escrito por Brooks, em pdf, para baixar. Porém, encontra-se em inglês. Quem desejar, é só clicar aqui

"Respiratorianismo
Respirar e viver para sempre
A dieta saudável
para Beleza eterna"


Para finalizar, segue uma entrevista que o site VICE fez a Wiley Brooks em 2014, traduzida para o português. 

Oi, Wiley. Eu ouvi você mencionar ter tido algumas vidas passadas. 

A única razão pela qual estou vivo hoje é porque eu vim ao mundo com muito conhecimento sobre o que fazer, porque continuo um processo iniciado com Cristo e antes disso. Uma das minhas vidas passadas, se você perceber, foi João, o Batista. 

Você também se identificou anteriormente como Jesus Cristo.

[pausa] Bem, é realmente complicado, sim, mas eu levo esta frequência. A energia chamada "Cristo" significa luz. É uma energia leve que foi criada no início da criação e é a base de toda a criação. É como a energia que mantém juntos a criação. Tem que continuar constantemente a ser renovada em diferentes civilizações. 

O que isso tem a ver com o respiratorianismo? 

É apenas uma tomada sobre o que se faz, come-se como vegetariano e frugívoro. Respiratoriano é basicamente ar. Todo mundo faz isso, então todo mundo é um respiratoriano. Aqui está um assunto complicado, aqui é onde o cerne do todo é: você percebe no meu site, eu digo: "Eu sou o Senhor, seu Deus e criador deste universo?" Esta é a verdade. 

Não estou 100% seguro do que isso é. 

O primeiro problema é que as pessoas não sabem o que Deus parece e quem Ele é. Por que diabos não poderia ser eu? Por que não poderia ser você e por que não poderia ser o cachorro na rua? Todos nós viemos aqui através do canal do nascimento, basicamente, mas eu vim um pouco diferente, vim um pouco mais velho. Eu vim através do canal de parto, mas entrei com muito mais poder do que a pessoa média. Eu estava ciente de que eu vim de outro lugar para começar. 

De onde você veio? 

Estou me referindo a outro planeta. Isso não é importante agora. Meu problema é estar aqui neste planeta e manter o maior número de pessoas possível para mudar para o novo mundo. Como faço para chegar às pessoas nesse novo mundo? Estou realmente na quinta dimensão, enquanto falo com você neste momento. 

Como que é isto? 

[risos] Bem, é como o mundo em que você está. Você não gostaria de ir lá, porque você não sabe que existe, e você nunca conseguirá provas que existe até você fazer o que é necessário para chegar lá. Normalmente, o universo evolui constantemente e você não consegue parar isso. Nós deveríamos estar nos movendo junto com a Terra enquanto a terra fica mais quente e enquanto as coisas ficam mais quentes. Os corpos dos humanos foram mantidos no ponto em que não podem subir, e é por isso que todos os chemtrails* são deixadas cair na Terra e tudo, para evitar que nos mudemos para esse nível.


*Chemtrail é o termo em inglês para rastro químico. Alguns afirmam que aviões soltam fumaças contaminadas com produtos tóxicos e letais no ar.


Então, por que só sobreviver de luz e de ar é importante?

Não tem nada a ver com basicamente viver de luz. É isso que Cristo é. A energia de Cristo é energia que vive e é a criação da próxima fase da vida, que é a respiração. É a respiração que mantém o universo em andamento, e não apenas as pessoas. É por isso que respiratorianismo é na verdade todo mundo no planeta. Você pode escolher comer, é claro, é uma coisa. Mas o outro é que quando você faz isso, ele o puxa para o mundo que todo mundo está preso agora, o mundo 3D. 

Talvez o problema que estou tendo seja o preço elevado que você exige para a iluminação. Como esta garrafa de água de US$ 10.000. Isso é caro.

Não é por esta água, não é, porque você não sabe o que é. 

Me vende.

Olha, seria realmente mais importante vendê-lo sobre o que a cura do jejum é, porque a água não seria bom neste momento. Primeiro você deve estar ancorado na nova energia do mundo. 

Então eu deveria fazer sua oficina de imortalidade de US$ 1.000.000 antes de beber sua água?

Isso é exatamente certo, caso contrário seria inútil. E quero dizer, bem, não seria inútil, provavelmente causaria muita dor. Pode até te matar. Tem muita energia. Eu não tentei dar a ninguém que não fez a oficina, porque faz com que o corpo elimine todas as coisas ruins a uma taxa devastadora. Outra coisa que posso apontar aqui: toda substância no planeta, todos os alimentos no planeta, exceto minha água, contém energia radioativa. Você não pode se livrar disso, é impossível, exceto com aquela água. É por isso que a água é tão cara.

Por que você defende que as pessoas só comam lanches com duplo queijo e tomem Coca-Cola Diet?

Porque eles são as únicas coisas que não são radioativas.

Fast food do McDonald?

Agora, você vê o erro que você está prestes a fazer? Eu não disse "fast food do McDonald's". Eu disse, um sanduíche e uma refeição, com um tipo de Coca Diet, e eu digo quais as que tomar. É isso aí.

Pensei que você somente vivia de ar e luz.

Bem, é isso que eu estou tentando dizer: estou vivendo de ar e de luz. Mas eu não estaria neste planeta e você não poderia falar comigo se eu não mantivesse minha energia dentro da energia que você está. E desde que você come, e desde que é você que eu vim para ajudar - você e outras pessoas - eu tenho que estar visível para que eu possa lidar com você.

Mas as pessoas levam o respiratorianismo literalmente, seguidores morreram de fome.

Bem, não, eles não levam isso de mim. Quero dizer, eu nunca...

Você é o fundador. Esta é a sua coisa.

Eu sou o fundador do respiratorianismo, mas isso não tem nada a ver com o que outras pessoas fazem. Os Illuminati, tenho certeza de que eles têm milhares de pessoas lá fora, que se chamam de respiratorianos. Na verdade, se você olhar para o mundo, você verá todos os tipos de respiratorianos, mas você provavelmente não vai me ver. Eu não sou convidado para lugares para falar e coisas assim. Quem no inferno convidaria um cara que diz que ele é Deus?

Se isso não é o que você ensina, o que aconteceu nos anos 80?

O que aconteceu nos anos 80? Bem, os Illuminati...

Você foi apanhado escondendo uma torta e seus seguidores ficaram todos à esquerda.

[risos] Eles nunca viram a foto do que eu disse. Até os meus cinquenta anos, eu era vegetariano e comi frutas. Então comecei a parecer mais velho. Eu não conseguia descobrir o que estava acontecendo com isso, então, quando percebi que a energia estava aumentando, eu estava ficando cada vez com mais dor. Finalmente, ficou tão mal que tive que sair. Eu estava em Los Angeles, e eu tive que deixar todas as cidades porque a eletricidade tornou-se tão mortal para mim. Naquele momento eu percebi que a comida que estava comendo era veneno. A partir daquele dia eu disse: "Já não como comida. Eu como veneno". Mas, no que diz respeito ao respiratorianismo, eu nunca disse que alguém poderia viver de respiração - neste planeta. Então este foi o problema.

Fonte: VICE

Foto recente


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Martha Robin: uma religiosa que viveu mais de 50 anos de Energia Divina



Martha Robin foi uma francesa, considerada mística, que nasceu em 1902 e faleceu em 1981. Desde os 21 anos de idade ela viveu prostrada em sua cama. E, por 53 anos ela viveu sem alimento físico algum, a não ser alimentada fisicamente pela hóstia que recebia dos padres.

Além da hipersensibilidade, ela apresentou durante a vida, encefalite aguda e tumor cerebral. Ela ficou inclusive em coma por alguns dias. Além de outros quadros de adoecimentos.

Ela era uma devota fervorosa. Recebia constantes visitas de padres e de fiéis sobretudo católicos. E por incrível que pareça ela ficou desconhecida do grande público numa época em que já se existiam os televisores por toda parte no mundo.

Martha era bastante caridosa e nutria preocupação pelos pobres. Em casa ela trabalhava fazendo artesanatos religiosos. Ela apresentou diversos fenômenos místicos, inclusive stigmatas - feridas no corpo como saída de sangue dos olhos -, que eram comuns nas sextas-feiras. 

As grandes perguntas que pairam sobre nossas cabeças são: Martha foi nutrida, foi alimentada, pelo quê? Martha fez da vida dela um sacrifício? 

Martha foi sim nutrida pela Energia Divina, pelo Maná, Prana, Chi, Ki, Éter, Orgone, Quinto Elemento, chame-se como quiser a Energia que nos mantêm vivos. Pois como a medicina convencional poderia explicar que uma pessoa pudesse viver por mais de 50 anos sendo alimentada somente com 3 hóstias por semana? E ainda sobreviver mesmo sob adoecimentos severos e outros fenômenos inexplicáveis?

No entanto, há uma dualidade que paira no caso de Martha. Martha conviveu com doenças. Ela não se curou completamente através do Prana. Diferente de outros prânicos e pessoas que jejuaram e conseguiram se curar de adoecimentos que tinham além de manter uma ótima saúde, com Martha foi diferente.

Matha foi reconhecida pela Igreja Católica Apostólica Romana como santa, sobretudo pelos sacrifícios que realizou. Por mais que médicos a tivessem visitado e alguns chamaram de histeria os fenômenos que ela apresentava, ela conseguiu provar àqueles que a visitaram que seu caso era real, que realmente ela vivia sem alimento físico, e que, os fenômenos que apareciam em seu corpo eram reais.

Este é a meu ver a questão problemática de se submeter a uma doutrina, a uma ideologia, a uma filosofia, a uma religião, a um dogma, a um credo qualquer. A pessoa deixa de ter fé em si mesma, no Deus que habita nela, e deposita a fé em outrem. Não afirmo que este foi o caso de Martha em absoluto, porém muito se assemelha a isto. Além do mais, por quê Martha já que gostava de viver sem comer também não abandonou a hóstia, sendo que o trigo pode fazer mal?

Uma forte fé em si mesma Martha tinha, sem dúvida alguma. Senão não teria como ter vivido por tanto tempo somente com algumas hóstias por semana. Portanto, ela também viveu sob a Graça, guiada pelo Divino. Mas, meu questionamento é que talvez ela não tenha vivido uma entrega real ao Divino. Já que ela ainda viveu submetida a um dogma. E talvez justamente pelo fato de se submeter a este dogma é que a fez conviver com tantos adoecimentos e fenômenos místicos.

A análise profunda do caso Martha, a análise dos aspectos inconscientes aos quais ela pode ter se submetido, e pode ter levado a ao adoecimento, esta análise sugere que sua experiência serviu para quem estava à sua volta de que tudo aquilo que ela experienciava era possível e era real. Provar que era possível viver sem alimento físico para quem tem fé. 

Talvez ela não quis dar um passo além, já que o mundo era ainda mais conservador do que é hoje. E aceitou as hóstias e a visita frequente de religiosos. Já pensou uma pessoa que não come e nem bebe viver praticando a caridade e o serviço devocional a Deus livremente sem cobrar nada em dinheiro? Como seria esta pessoa aceita pela sociedade?

Numa das aparições em que Jesus fez, perguntou a Martha: "Você deseja ser como Eu?". Assim, concluo minha análise: para quê sofrer novamente como Jesus sofreu há mais de dois mil anos por toda a humanidade? O mundo atual não precisa mais de stigmatas, místicos que adoecem no corpo para serem exemplos para os céticos. Há tantos milagres hoje em dia visíveis, só não enxerga quem não quer!

A sabedoria de pelo menos 5000 anos antes de Cristo da Índia já diz que é possível viver sem fome e sem sede. Yoguis como Prahlad Jani, que está há mais de 80 anos vivendo exclusivamente entregue a Deus, ou Victor Truviano que há mais de 13 anos também vive exclusivamente do Prana, e muitos outros espalhados pelo mundo de hoje já são evidencias sem dor, sem necessidade de sacrifícios no corpo, de que tudo isto é possível.

Já há na Bíblia a explícita mensagem: "Àquele que crê, tudo é possível". Portanto, para quê se matar, se sacrificar, em nome de um dogma, de uma doutrina, de uma crença?

A crença, o poder da fé, vale por si só, por si própria. A fé não precisa de livros, de crenças, de religiões, que a fundamentem. Embora às vezes o conhecimento seja importante. Mas, o que é a fé? A fé é, em última instância: fé em si mesmo, fé no Deus que mora e repousa em Ti, e não no exterior, num templo físico. O verdadeiro templo está no interior da própria pessoa, em Si Mesmo.

Por fim, concluo que, sejamos o próprio exemplo para nossas mudanças. Não precisa parar de comer para viver abençoado pela Energia de Deus, pelo Maná, pelo Chi, pelo Éter, pelo Prana, pela energia sutil. A vida superior é antes de tudo uma questão de consciência, de viver guiado pela sabedoria do coração. É confiar na intuição que o coração nos sopra. A mente é importante, mas ela é secundária em relação a sabedoria inata, que todos possuem dentro de si mesmos. Ou a mente pode ser mais profunda do que viver com a mente cheia de pensamentos.

Deus repousa em cada ser, e é através do amor que Ele (ou Ela) realmente nos fala. O amor é o que de mais sublime existe na vida, e o amor é somente outro nome para o Deus que está em cada um. Não sou religioso, nem crente 100 % da Bíblia, mas quero deixar aqui uma citação bíblica que considero oportuna: "Nem só de pão viverá o homem, mas sim de toda palavra que sai da boca de Deus." Está escrito em Mateus capítulo 4, versículo 4.

E finalizando, não há nada maior que o amor. O amor é outro nome para Deus e é outro nome para esta Energia que nos mantém vivos, e que também manteve Martha viva. O amor é a verdadeira fé. Fé que não precisa de razões, de saberes, sejam eles religiosos ou não, para se sustentar.








Viver do Prana {Henri Monfort}

Viver do Prana, por Henri Monfort*

“Faz 11 anos pesava 120 quilos e tinha problemas de saúde. Disposto a aplicar uma solução, durante dois anos intercalei dias de jejum entre a série de dias em que comia. Perdi 30 quilos. Até que descobri o livro de Jasmuheen Viver de Luz. O li em uma só noite e para mim foi uma revelação. No dia seguinte comecei com a nutrição prânica. Atualmente peso uns estáveis 75 quilos, e me nutro só de energia prânica e água. Tenho claro que não voltarei a comer. Dirijo seminários de nutrição prânica faz cinco anos; cada vez tem mais gente interessada em participar.”


NUTRIR-SE COM O PRANA

Nutrição prática e jejum

Tem que se fazer uma diferenciação importante entre nutrição prânica e jejum. No jejum a pessoa vai se nutrindo com as pequenas reservas que tem acumuladas, e se continua até que se terminem, desfalece e morre. O jejum mais longo possível é de quatro meses. O jejum obedece a uma visão dualista, na qual por uma parte está você, e na outra o Universo. Em contrapartida, no caso da nutrição prânica desenvolvemos uma unidade com o Universo, do qual captamos o prana, e o levamos ao organismo. Se trata realmente de uma nutrição, assim pois, se pode assumir tanto tempo como se queira, incluindo indefinidamente. Para chegar a nutrição prânica não tem que dizer “a partir de tal data deixarei de comer”, senão dizer te “a partir de tal data me nutrirei de prana”. Este decreto é muito importante, vai permitir uma reprogramação das células.

Que é o prana?

A palavra prana vem da tradição hindu, dos textos dos Vedas. Muitas vezes se associa com a respiração porque na hatha yoga se ensina o pranayama, que são exercícios de respiração que permitem captar o prana. Mas há que se compreender que o prana não está unicamente no ar; está também na água, e incluindo existe um sutil prana material. O prana, para mim, é a energia da vida; a energia que, de uma pequena semente, faz uma árvore de 15 metros de altura. É a potência infinita do Universo. Está presente em tudo o que existe, e podemos captá-lo diretamente através de todos os sentidos da percepção, não somente pela respiração.

Se captamos o prana pelos órgãos da percepção, tudo que vá vir a nós vai nos nutrir. Finalmente vai a ser nossa aura, nosso campo energético, o que vai nutrir nos: se escutamos um bom fragmento de música, nos nutrimos; se estamos enamorados, nos nutrimos; se olhamos uma bela paisagem, nos nutrimos; se estamos em um lugar muito potente em nível energético, nos nutrimos; se sentimos a energia da terra, do espaço, das estrelas, do Sol, da Lua, nos nutrimos. A aura inteira se preenche de prana com tudo isto, e nos nutre as 24 horas do dia. Então já não tem que fazer nada para nutrir-se; o corpo tomará, por si mesmo, aquilo o que tenha necessidade.

Para quem é esta forma de nutrição?

A resposta é: para qualquer um que o sinta; não faz falta ser alguém 'espiritual'.

Em 1983, a Terra passou 3 vezes por uma alerta atômico. Então os guias de luz decidiram enviar para aqui o mental superior. Essa energia que descendeu fez que certos problemas mundiais se resolvessem: se acabou o muro de Berlim, assim como o bloco da União Soviética, e a guerra fria terminou.

O novo nível vibratório do planeta permitiu que todo o mundo possa aceder a nutrição prânica. Para dar o passo basta assumir que é possível. Cada vez mais gente chega a nutrição prânica, desde horizontes completamente diferentes, e cada vez de um modo mais fácil, e quanto mais fácil é, mais gente há que começa.

O que me interessa da nutrição prânica é como transcender meus limites: os limites físicos, emocionais, mentais e espirituais. Tem que estar pronto para ser um pioneiro. Quem opta por esta forma de nutrição se adentra em um continente inexplorado, não existem mapas traçados. No mundo, atualmente, e desde vários anos, somos umas 30.000 ou 40.000 pessoas que gozamos desta experiência. O mais antigo é um iogue da Índia que se chama Prahlad Jani; faz 70 anos que não come nem bebe. Ele foi examinado em grandes hospitais de Bombaim e os cientistas afirmaram que ele tem órgãos de um homem de 25 anos.

Conquistas associadas com a nutrição prânica

Faz dois anos, em um grupo de nutrição prânica havia uma pessoa que tinha carências de sais minerais desde a infância; não os retinha. Se submetia a análises de sangue a cada mês, desde que era muito pequena, e sempre refletiam carências. Quando começou com a nutrição prânica tinha 35 anos. Aos 21 dias, ao final do processo, se fez uma análise e todos os parâmetros estavam normais; incluindo alguns estavam acima da média, como o silício e o ferro. É que o corpo tem umas capacidades inimagináveis.

Com a nutrição prânica primeiro se chega ao nível da saúde perfeita, que é o estado natural da vida. É simplesmente, um estado de equilíbrio. Vivemos numa sociedade na qual pensamos que o adoecimento é normal, assim como o envelhecimento. Isto é falso. Antigamente, na China, o cliente só pagava ao médico quando estava com boa saúde: si adoecia é que era um mau doutor. Completamente ao contrário de nós, que assumimos como normal ao chegar ao inverno contraiamos gripe, resfriado, etc.

Se existe, por exemplo, uma epidemia de gripe e você lhe diz “tomara que não a pegue”, é então que tem medo, e instala em você a possibilidade de ser atacado pela gripe. A um nível muito mais elevado vibratoriamente, os vírus e as bactérias são prana. Quando você vai se banhar no mar, está rodeado de milhões de vírus gigantes. Mas você está nadando e tomando sol; você está bem, e não pensa que há vírus gigantes: você não tem medo, e não é atacado. Se tenho medo, é que me situo fora do Universo; então todo o Universo se torna potencialmente perigoso. Quando subir seu nível vibratório deixará o medo, até ao ponto de dizer ao Universo:

“Te dou minha confiança, te dou tudo o que sou. Nutre-me.” E o Universo te nutrirá com a luz e com o amor. Porque a energia da vida é uma energia de amor; todas as leis da natureza são leis de amor. E se o amor universal te nutre, como vais adoecer? Não é possível.

Em uma segunda etapa, sobre a base da saúde perfeita, passará uma coisa muito curiosa: as células vão começar a rejuvenescer. Em vez de ir até o desgaste e o envelhecimento, seus cabelos crescerão, suas rugas se irão, sua pele será mais suave... Por quê se produz o desgaste que produz o adoecimento e o envelhecimento? Porque quando você toma a nutrição exterior por meio dos alimentos só uns 15% do que voc~E come é aproveitado, o resto são resíduos e toxinas, que o corpo armazena na gordura, nos músculos e nas articulações. Isto é o que provocará com o tempo o cansaço, o adoecimento, e depois o desgaste do corpo, o processo de envelhecimento. Quando deixa esta alimentação e se nutre diretamente do prana, o corpo primeiro se regenera, e depois toma a aparência que queiras.

Por outra parte, às vezes me perguntam que ocorre com a perda do prazer que associamos com a comida. Eu respondo que onde há prazer há sofrimento: o prazer de comer implica o sofrimento de digerir. É a dualidade. Quando você experimenta a nutrição prânica e entra em uma consciência de unidade, você experimentará a beatitude, a qual não tem contrários. Ocorre algo semelhante com o tema da sexualidade. Quando alguém é prânico é mestra na nutrição também é maestra na sexualidade. Já não são os instintos que nos dominam, senão que nós dominamos os instintos. A sexualidade pode ser vivida em unidade, com uma total maestria do corpo. No caso dos homens, os espermatozoides se transformam em energia sutil, em prana, e o corpo também se nutre graças a eles. O mais alto nutre o mais baixo; é o que se chama “a grande circulação” no taoísmo. Você utiliza a energia sexual para abrir os chakras e todo o corpo se eleva, se torna divino. Se tem a impressão de fazer amor com o Universo.

Depois de certo tempo de praticar a nutrição prânica se experimenta um estado de unidade com o Universo. Você imagina o Universo como um imenso quebra-cabeça. Você é uma peça única, excepcional; não existe dois como você na Terra, como não existe dois balançar de folhas ou duas folhas de árvore que sejam iguais. Com a nutrição prânica o que você faz é rodear os ângulos para tomar seu lugar justo, exato, no quebra-cabeça. Então é o quebra-cabeça inteiro o que nutre você, e você, assim mesmo, nutre o quebra-cabeça. Se produz uma relação de unidade com tudo o que existe que faz que já não tenha nem atacantes nem atacados. Já não existe mais medo.


Pessoalmente, não acredito que se possa chegar a beatitude pelo sofrimento. Graças a nutrição prânica não tenho necessidade de tomnar a vida de nada para alimentar-me. Respeito a vida em todas as suas formas, incluindo a de uma pequena folha de alface. Na nutrição prânica, há uma exaltação da vida, da energia e do amor; não se está no sofrimento.


PREPARAR-SE PARA O PROCESSO

Quando li o livro de Jasmuheen tive como uma revelação, e no dia seguinte comecei o processo de converter-me em prânico, o 'processo dos 21 dias'. Mas não aconselho as pessoas que façam o mesmo. O melhor é abordar o tempo necessário antes de abordar este processo. Tem que começar por preparar-se, e isso pode levar 1 ou 2 anos, ainda que também é certo que hoje em dia tudo está acelerando, e em certos casos a adaptação pode ser mais rápida.

Para se preparar tem que refinar-se a nutrição, por meio de ingerir menos alimentos e de melhor qualidade. Em vez de 3 vezes ao dia, se pode comer; para decidir-se cada um deve escutar a sua intuição pessoal. E depois, de vez em quando, se pode introduzir pequenos jejuns, no máximo de 3 dias; não existe necessidade de ir mais além.

Durante este período de preparação aconselho tentar ser vegetariano. Tem gente que faz um regime progressivo: passam primeiro a ser vegetarianos, depois veganos, depois crudívoros, chegam a alimentação líquidas (sopas, etc). Quando se chega aqui, é muito fácil dar o salto à nutrição prânica, mas isto não quer dizer que seja uma solução única. Cada um encontra sua melhor maneira. Conheci 2 pessoas que 1 semana antes de começar o processo dos 21 dias ainda comiam carne. Não há pois uma regra geral.

Falei de introduzir jejuns de 3 dias. Outra opção é fazer 1 dia de jejum por semana. Durante o jejum tem que beber muito, para ajudar os rins a limpar. Se pode fazer limpezas intestinais antes do processo, mas não muitas, porque fadigam o organismo. De fato, 3 dias de jejum já cumprem com esta função de depuração. Não obstante, tem que acostumar-se a se comunicar com o corpo. Isto nos dará a resposta justa para nós em quanto e como devemos tratá-lo.

O jejum é uma técnica de limpeza e purificação; mas também, e isto é muito importante, nos permite ver qual é nosso posicionamento a respeito da alimentação. Nos permite confrontar o que nos passa quando não temos alimento, e sobretudo, o que nos ocorre a nível emocional. Porque existem muitas pessoas que comem compulsivamente. Não comem para nutrir-se mas para preencher-se, preencher vazios emocionais e sentimentais. Se existe uma relação assim com a alimentação, é necessário curar-se; talvez terá que fazer psicoterapia para saber de onde vem essa necessidade.

A nível mental, fará falta quebrar todos os bloqueios da prisão que está em nossa cabeça, quer dizer, nossas crenças. Entre outras, existe uma crença que é: “Tem que comer para viver, se não come, fica doente.” Pensa em tudo que se diz as crianças para obrigar lhes a comer. Existem muitas crianças, que agora, nascem prânicos, porque o nível prânico do planeta está muito elevado. Estas crianças sabem que não têm necessidades de comer, que podem assumir a nutrição superior. São mestres espirituais, seres muito evoluídos, que têm vivido muito tempo no plano da luz, como os guias, e se nutrem de prana. Sobretudo, não tem que obrigar estas crianças a comer se gozam de boa saúde e energia.

O caminho da nutrição prânica é um caminho para guerreiros, porque tem que estar hábil para afrontar os medos e as limitações. Suas próprias limitações, mas também os medos e as limitações daqueles que lhe rodeiam (os pais, os filhos, os amigos), que exercerão sobre você para que não tenha esta experiência. Se não tem a determinação do guerreiro, vai ceder, porque o julgamento dos demais pode resultar para você intoleráveis. Você não é responsável pelos medos que têm os demais, mas fazem um efeito espelho muito forte. Sua opção pela nutrição prânica não tem que mudar sua vida social. As pessoas por perto, se lhe querem verdadeiramente, vão lhe aceitar como você é, com suas próprias escolhas.

Em um dado momento, se perguntará: “A nutrição prânica é boa para mim?” “Este processo é para mim?” É sua intuição que lhe responderá, ou os mestres espirituais através da intuição. Se estiver preparado/a, mentalmente, fisicamente, emocionalmente, espiritualmente, adiante. Se não estiver, leve seu tempo necessário. Isto não é uma carreira de velocidade, nem uma competição, que fique claro. Posto que todos somos diferentes, cada pessoa vai necessitar de uma preparação distinta. Tem pessoas que estão preparadas em seguida, de um dia para o outro. Outras vão necessitar mais tempo; necessitarão que os distintos aspectos implicados se ponham em seu lugar.


O PROCESSO DOS 21 DIAS

Quando alguém está verdadeiramente hábil, se leva a cabo o processo dos 21 dias. É melhor começar este processo no verão que no inverno. É importante que a pessoa se encontre em um período da vida relativamente estável: que não tenha mudanças de casa, separações, processos de divórcio, coisas assim, porque isto desestabiliza forçosamente.

Por quê 21 dias? Porque é um número sagrado, é o número da iniciação. Eu associo cada dia a cada uma das cartas do Tarô, com as que se correspondem completamente. Vou explicar somente o que fazemos nos trabalhos que facilito durante estas três semanas.

Em todo o processo dos 21 dias não se come nada; só se bebe. É algo diferente ao que opina Jasmuheen, quem faz uns 25 que começou o processo. Ela pediu a seu guia de luz uma técnica para curar seu câncer no seio. Se curou do câncer graças a nutrição prânica, e a partir daí o fenômeno começou a estender-se. Mas eu não estou de acordo em dois aspectos que estão em seu livro. Ela diz que na primeira semana se para de comer e beber. Se se faz isto, tem o risco de que se produza o que chamamos uma “concretização do conflito”, que se traduz em forma de cálculos nos rins e na vesícula biliar. Em nosso caso, se bebe tudo que se quiser, quente ou frio, ainda que leites, sucos de frutas ou bebidas energéticas não, uma vez que já constituem nutrição física. No processo de Jasmuheen, na terceira semana se retornam aos sucos de frutas mesclados com água. Se fazemos isto, o corpo se desorienta; se torna louco e se retorna a nutrição física. É necessário que a mensagem que se dá às células seja clara, precisa: “Me nutro de Prana!”

Primeira semana

A primeira semana começamos com uma visualização concedendo com quando normalmente voltariamos às comidas. Por meio da visualização fazemos descer a luz branca do prana por todo o corpo, para que as células compreendam que a nutrição que se lhes dá é o prana. Se faz isto até que as células o compreendem, por 4 ou 5 dias; então se produz uma mudança: as células, o corpo, já não tem mais fome. Normalmente, ao fim destes dias, o corpo já se nutre automaticamente, mas se pode seguir com as visualizações tanto tempo quanto se queira. Também se pode seguir com elas pelo prazer do encontro do processo em grupo.

Coincidindo com este momento ocorrerá algo: se produzirá um incremento das sensações; os cinco sentidos se vão a desenvolver de uma maneira extraordinária. Os animais têm muito mais desenvolvidos os sentidos de percepção que nós porque estão próximos de seus instintos; assim mesmo, por exemplo os Aborígenes da Austrália põem a mão no solo e sabem se tem água. Capacidades como esta se têm visto permitidas por nossa nutrição, de modo que, quando a nutrição física já não está melhoram os sentidos: a vista, a audição, o olfato sobretudo. Em meu caso, se quero cheirar uma flor que está a 200 metros, lanço meu sentido até ela e me chego ao odor; se tenho uma fruta a mão, a ponho ao lado de meu nariz e a tenho seu sabor na boca. Quando as pessoas ao redor percebo o sabor dos alimentos. Assim pois não me falta nada, pois estou nutrido por todos os sentidos. Depois de certo tempo, graças a aura também se captam as atmosferas, a beleza das paisagens, a harmonia das árvores, a intensidade do perfume das flores... Se vive com total intensidade.

Segunda semana

Nesta semana, começamos a trabalhar as memórias celulares. Estas memórias celulares são todos os traços que têm ficado na causa do estresse, das enfermidades, dos problemas que se têm tido desde a estância no ventre da mãe; todas as impressões que se meteram nas células. Estas memórias formam uma espécie de estrato geológico. E nos submergimos mais e mais profundamente para eliminar estes traços graças ao prana.

Terceira semana

Na terceira semana se trata de limpar as memórias profundas que temos em comum com a humanidade. Têm que pensar que as primeiras tribos passavam 85 % do tempo buscando comida com medo de não encontrá-la. Isto está inscrito e se reativa permanentemente, porque tem gente que morre de fome no mundo atualmente. É a memória da fome e das secas.

Temos visto nos grupos, ultimamente, muitas pessoas que, em uma vida anterior, morreram de forme em campos de concentração. Ao confrontar-se com isto, eles têm medo de perder peso. Se olham no espelho e se sentem como se tivessem saído de um campo de concentração. Afrontar isto não é fácil. Afrontar isto não é fácil, porque supõe confrontar uma memória extremamente dolorosa, que está também muito impressa na memória coletiva.

Ao chegar a terceira semana, tem três critérios importantes. O primeiro critério é o peso. Nas duas primeiras semanas não tem que preocupar-se do peso, mas nesta terceira semana deve estabilizar-se. A pessoa deve pesar-se a princípio, na metade e ao final desta semana. Se os três pesos são mais ou menos equivalentes, se tem estabilizado o peso. Se se continua perdendo peso é que algo não anda bem.

É o corpo que fixa o peso; mas se alguém se encontra demasiado magro, pode pedir a seu corpo que engorde um pouquinho. Tem gente que se encontrava demasiado magro e durante o processo ganhou quatro ou cinco quilos. Mais que o peso, o importante é como se sente um. Se se bebe mais, ou se faz exercício, se pode perder algo de peso; isto não é significativo.

O segundo critério é a energia. Se comendo dorme horas, por exemplo, só dormirá quatro horas, mas você despertará como se tivesse dormido dez. Experimentará um sono muito particular e profundo, e você se despertará como os gatos; o que é dizer, em estado de vigilância extrema. Você não terá a sensação de querer ficar a dormir um pouco mais, senão que estará pronto para a ação. Desde há nove anos e meio só durmo uma hora diária.

Se ao final da terceira semana a pessoa alcança estes critérios, lhe digo se pode continuar. Se só se cumprem dois critérios, lhe digo que espere um mês ou um mês e meio: se neste intervalo se cumpre o terceiro critério, bem; se não, lhe digo que detenha o processo. Se não se cumpre nenhum critério, a pessoa deve voltar a começar a comer.


DEPOIS DOS 21 DIAS

Não só tem importância a prepação prévia, senão também a posterior. Têm pessoas que retornam um pouco à alimentação para integrar o processo, e logo voltam ao prana de modo mais forte. Também têm gente que voltou à comida três ou quatro meses após o processo com normalidade, sem nenhum problema. Qualquer um que tenha terminado com êxito o processo dos 21 dias é prânico. Se volta a comer ou não, não é importante; esta pessoa pode voltar a ser plenamente prânica quando quiser. O importante é levar a cabo o processo; é a maneira em que se ativa um novo programa no computador corporal. Quando você instala um programa em seu computador e o ativa, não está obrigado a usá-lo; mas você sabe que se o necessitar ele está a sua disposição.

Enquanto a vida social, tem que se distinguir entre amigos e conhecidos. Os verdadeiros amigos te aceitam como é, sem querer lhe transformar, sem impor seu modo de funcionamento, suas crenças. Eu vou ao restaurante com meus amigos e não como. Às vezes peço um prato, para que não se chateie o serviço, e o reparto entre as demais pessoas. E todas as festas familiares, nas quais participo, estão ainda em torno da comida. Agora, bem, se você tem medo de afirmar o que você é, de te posicionar frente aos demais, não vai ousar continuar com a nutrição prânica. Está vai ser uma questão a se curar. Todas as pessoas que voltam a comida, depois do processo dos 21 dias o voltam por causa dos outros. Mas em tal caso, abdicam de seu poder pessoal; dão mais poder aos outros que a si mesmos. Ocorre o mesmo, se escutam o ponto de vista dos médicos, dos dietistas, dos meios de comuniação, etc. O que é o que você quer afirmar? Isto que quer afirmar é o justo para você.


2012

O planeta está experimentando uma aceleração vibratória. Isso provoca uma separação entre dois mundos, um que emerge outro que se funde. O problema são as pessoas que têm um pé em cada lado, que não escolhem. Ficam com as pernas abertas. E a posição de pernas abertas não é fácil. Este 2012 é o ano de escolher: o que queremos para nosso planeta, o que queremos para nossa vida. Tem que criar um novo protótipo de ser humano, adaptado a um novo tipo de funcionamento, um novo que não padeça enfermidades, sofrimento, nem morte. Assim poderemos ser tão numerosos quanto queiramos e a Terra poderá ser um jardim. Os agricultores serão os jardineiros da Terra, os animais serão livres e todo o mundo será feliz. Será a auto-suficiência, a liberdade!

Como serão os corpos humanos no futuro?: Não sei. As mutações genéticas se produzem ao longo de centenas de milhões de anos. Em qualquer caso, o corpo humano já experimentou modificações conhecidas. Por exemplo, o apêndice humano era um órgão que já não existe. E os molares do juízo são pré-históricos: vêm de quando comiamos carne crua e já não nos servem para nada; por isto, provocam problemas. E tinhamos cola prêensil, que agora podemos identificar como um pequeno osso no limite da coluna vertebral.

Tudo está cada vez mais rápido. Se aceita que a nutrição prânica é possível, já terá dado um grande passo. Fiz conferências e oficinas e estou em contato com as pessoas para que sintam que isto é verdade, para que vibrem de um modo distinto. Não é o tempo dos livros agora, senão da realidade, de pôr em prática o que nos foi dado.

Existem muitas crianças que são prânicas. E têm pessoas que passam a ser prânicas espontaneamente. O que tem que compreender é que a nível sutil todos somos um. É o que se chama o campo unificado quântico. Se eu toco um ponto deste campo quântico, todo o resto é reaciona. Assim, se atualmente somos 30.000 ou 40.000 que nos nutrimos com o prana, o resto de pessoas também têm o programa; só faz falta que o ativem. Depois das conferências que faço, têm pessoas que durante dois ou três dias não comem. Como a gripe, esta é uma epidemia que se propaga. Uma epidemia prânica!


Publicado na revista Athanor, de julho/agosto de 2012.




* O autor, é francês, e desde 2002, vive exclusivamente de Prana.







Dica Musical: Idioteque {Radiohead}

Esta é mais uma arte da série de artistas clarividentes, artistas que vêem além do tempo presente, que anunciam novos tempos, tempos estes nem sempre tão bons, por vezes até negativos. No caso desta música, o vocalista do Radiohead, Thom Yorke, canta uma letra nada otimista de um futuro onde pessoas se esconderão em abrigos e conviveremos com uma era do gelo.

E há na canção também a dose de ironia, típico do rock´n roll, para aqueles que não acreditam na sua mensagem: "Vou rir até minha cabeça explodir" e, "vou engolir até estourar". Descrições apocalípticas. 

A letra é extremamente literal: "A era do gelo está chegando", "Não estamos inventando boatos", "Isto está mesmo acontecendo". 

Vale lembrar que diversos cientistas já apontam para esta possibilidade de uma nova era do gelo. Pois, o que se chama de aquecimento global, não é somente uma onda de calor acima do normal, mas sim, este aquecimento, é contrastado também com períodos intensos de frio. Portanto, alternado com os períodos mais longos e mais intensos de aquecimento proveniente principalmente do Sol - mas também das poluições que o ser humano causa - se contrapõe períodos de frio intenso, ainda que durem menos do que há tempos atrás. Estamos convivendo com um clima crescente de forte calor e forte frio.

Segue a música abaixo.